24 de julho de 2008

Porque Xiguela também é propagação de informação (útil?) ...

A história do doutorado da Unesp
por Renata Cafardo, Seção: Ensino Superior s 19:22:31.

A Universidade Estadual Paulista (Unesp), na unidade de Franca, manteve entre 1991 e 2005 um doutorado em Direito que nunca foi reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC). O curso titulou como doutores 22 pessoas, entre elas juízes, procuradores e desembargadores. Alguns deles dão aulas atualmente na instituição.

A Unesp tentou por quatro vezes na Capes/MEC, órgão que cuida da pós-graduação no País, regularizar a situação do doutorado, mas o resultado das avaliações sempre foi insuficiente. Mesmo assim, o doutorado continuou a existir. O resultado foi que os títulos de doutores não são válidos nacionalmente. Muitos dos formados, no entanto, chegaram até a cargos de professor livre-docente na Unesp.

Atualmente, a Unesp tenta no Conselho Nacional de Educação (CNE) validar os títulos, mas ainda não houve decisão a respeito.

As últimas teses foram defendidas em 2005. E, em 2001, dez anos depois de criado o doutorado, foi proibida pela reitoria a entrada de novos alunos. A história veio à tona só agora pela denúncia de uma professora da própria unidade e foi publicada nesta semana pelo Estadão.

Tão surpreendente quanto essa história se dar em uma das mais prestigiadas universidade do País, foi a reação de alguns dos docentes titulados pelo doutorado e que também passaram a atuar como professores de Direito em Franca.

Eles acusam a reitoria da Unesp de ter "vazado" a informação para a imprensa. Uma das professoras, mesmo sendo advogada, chegou a exigir que eu revelase minha fonte, esquecendo o artigo da Constituição que diz "é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional".

Fonte aqui.

2 comentários:

R'emo disse...

Agora ficam três dúvidas:

1º Quem vazou a informação?

2º Quem são esses tais professores

3º Quem foi a professora que "exigiu" que a fonte fosse revelada (essa eu chutaria um certo nome)

Vitão disse...

Da-lhe Direito!!!